(14) 3032-1227 | Recrutamento e Seleção, Consultoria, Cursos e Treinamentos

Category : Diversos

Dados mostram retomada de cenário no Brasil

  Produção e inflação recuperaram perdas com greve, mas desemprego e demanda causam preocupação

Os indicadores macroeconômicos recém divulgados mostram que voltamos, em partes, ao cenário anterior à greve dos caminhoneiros, mas a demanda segue fraca com a manutenção da desconfiança e do desemprego alto.

A produção industrial avançou 13,1%, em junho, na variação mensal dessazonalizada, devolvendo a queda observada no mês anterior (de 10,9%, ante abril), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Também conforme esse instituto, a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apresentou alta de 0,33% em julho, contra alta de 1,26% em maio.

Por outro lado, relatório divulgado pelo Itaú Unibanco, na última sexta-feira, lembra que os indicadores de confiança não se recuperaram após quedas em maio e junho. Última pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que em uma escala na qual valores acima de 50 pontos significam otimismo e abaixo desse patamar representam pessimismo, o indicador não passou de 50,2 pontos em julho.

Além disso, os indicadores coincidentes das vendas do varejo também não sugerem melhora. E o mercado de trabalho segue enfraquecendo.

“Estimamos que a taxa de desemprego [Pnad Contínua mensal dessazonalizada] recuou 0,1 ponto percentual (p.p.) em junho (para 12,3%) e 0,6 p.p. em relação ao mesmo mês do ano passado. No entanto, essa queda foi causada por recuo na taxa de participação a partir do quarto trimestre de 2017”, aponta o documento.

Com uma previsão do Itaú de crescimento econômico de 1,3% em 2018 e de 2% em 2019, o desemprego no Brasil deve ficar estável neste ano, em 12,3%, segundo ajustes sazonais, e ligeiro recuo para 12,1% próximo ano.

Ao mesmo tempo, a instituição espera que o governo deve cumprir com as metas fiscais.

Publicado por Contábeis, em 14/08/2018.

 

 

O que esperar dos impactos da Greve dos Caminhoneiros

Nossos meios de comunicação vêm, desde o início de 2018 nos perguntando “Que Brasil você quer para o futuro?” e, durante esses doze dias respondemos à altura, usando todas as câmeras nacionais e até algumas internacionais, em posições horizontais, verticais e, outras não tão retas.

Durante a greve dos caminhoneiros vimos e ainda estamos vendo diversas opiniões sobre o assunto que, para alguns foi inédito. Nunca demos tanto valor à categoria sempre criticada em estradas e, pouco valorizada em seu ofício.

  O que é a greve dos caminhoneiros?

  O movimento deu início em 21 de Maio, exigindo redução nos preços do óleo diesel – que subiram mais de 50% nos últimos 12 meses. A principal reivindicação era sobre os impostos que incidem sobre o combustível, como o PIS-COFINS, eles também exigiam a fixação de uma tabela mínima para os valores de frete.  Ao longo dos diversos dias da paralisação, as pautas foram discutidas e alguns resultados foram acordados entre representantes solicitantes e  solicitados, a fim de buscar melhorias ao cenário atual.

  Impactos na sociedade

Em curto prazo, pudemos perceber nosso cotidiano já se alterando devido à falta de produtos básicos em postos e supermercados. Instituições e escolas também suspenderam suas atividades. “A paralisação vai continuar tendo impacto na economia e pode inclusive afetar o crescimento no PIB do Estado e do Brasil, principalmente na indústria”, afirma Siqueira (Jornal MidiaMax). Os problemas no setor econômico só poderão ser confirmados nos próximos dias e meses.

  Impactos nas empresas

Dentro das organizações também sentimos o clima propiciado pela paralisação. Empresas públicas e privadas sentiram a necessidade de parar suas rotinas devido à falta de matéria prima ou de meios utilizados dos próprios caminhoneiros. Sem formas e meios para trabalhar, muitos colaboradores sentiram o movimento em suas casas, pois foram dispensados de suas atividades.

  O que nos resta?

Nós colaboradores devemos ter a calma e compreensão, o agradecimento por termos oportunidades em um país onde mais da metade da população sofre no desemprego.

As empresas por sua vez, devem considerar a atitude de conscientizar e deixar explícito aos colaboradores a situação em que se encontra, para assim, evitar problemas futuros quando a situação normalizar.

Devemos ter o entendimento de que, todos buscamos caminhar para a melhoria e, diante da situação encontrada nesses dez dias, vimos que, se uma minoria comparada a população brasileira, pode realizar vários impactos ao exigirem seus direitos básicos, o que poderá acontecer se um dia “o gigante acordar”?

12 dicas essenciais para você que vai abrir uma empresa

O momento da constituição é um dos mais importantes, se não o mais importante, na vida de uma empresa. Porém existe uma série de fatores que devem ser analisados com cautela antes de dar entrada no processo definitivo de abertura.

Relacionamos uma lista com dicas muito importantes no processo de pré-abertura da empresa. Consideramos que são essenciais e com certeza irão lhe ajudar a evitar problemas futuros.

1. Ramo de Atividade

O primeiro passo na constituição de uma empresa é definir quais serão os ramos de atuação, ou seja, quais atividades a empresa irá desenvolver.
Tendo clara essa ideia, é preciso analisar quais CNAEs (Código Nacional de Atividade Econômica) são os mais apropriados para o ramo de atividade.

2. Natureza Jurídica

A Natureza Jurídica ou Tipo Jurídico é a modalidade societária que a empresa irá adotar. Neste momento é preciso decidir se a empresa será uma sociedade, composta por duas ou mais pessoas, ou se atuará de forma individual, com apenas um titular. Feito isso é preciso verificar qual dos tipos jurídicos dentre sociedades e modalidades individuais é o mais adequado para sua empresa.

3. Certidão de Uso de Solo

A Certidão de Uso de Solo é o documento emitido pela Prefeitura autorizando ou não que determinada atividade seja exercida em um local/imóvel. Caso não seja permitido desenvolver a atividade naquele local, será necessário verificar junto à Prefeitura se existe algum procedimento para que seja liberada a permissão de uso; ou em último caso, será preciso encontrar outro endereço.

 

4. Conselho de Classe

Diversas atividades, principalmente as que caracterizam profissão regulamentada, estão atreladas aos Conselhos de Classe, que por sua vez exigem que a empresa seja registrada no órgão para que possa atuar de maneira regular. As regras e procedimentos variam de conselho para conselho, portanto é fundamental verificar se sua atividade envolve algum registro desse tipo e analisar as particularidades por ele estabelecidas.

 

5. Vigilância Sanitária

A Vigilância Sanitária (VISA) é o órgão responsável por fiscalizar se os procedimentos necessários para garantir a redução, prevenção ou eliminação de problemas relacionados à saúde estão sendo cumpridos. Geralmente as atividades relacionadas à saúde ou ramo alimentício, envolvem o registro neste órgão. É preciso ficar atento nesse aspecto também no que diz respeito ao imóvel em que a atividade irá se estabelecer, pois em alguns casos, a Vigilância Sanitária entende que o local pode não ser apropriado para se exercer algumas atividades.

6. Razão Social

É a formalização do nome que a empresa irá adotar. É preciso pesquisar se a razão social pretendida ou alguma muito próxima já está em uso, pois isso impedirá o registro no órgão competente.

7. Capital Social

É o montante inicial que será investido para que a empresa comece a funcionar. Para defini-lo é fundamental a clareza nos gastos iniciais e projeção de quando efetivamente se pretende começar a ter lucro.

8. Planejamento Tributário

O planejamento tributário é fundamental para toda empresa, pois é por meio desta ferramenta que será definido o regime de tributação mais viável, que dentro da legalidade, possibilite reduzir o pagamento de tributos. Além disso, é preciso – de acordo com as particularidades da empresa – ter cautela no planejamento tributário, pois são diversas as variáveis que podem ou não tornar adequado um regime de tributação.

9. Documentos do Imóvel

Conforme citamos na dica número 3, a Certidão de Uso de Solo é o primeiro documento que devemos obter para constatar a possibilidade de se instalar em um determinado imóvel, porém não é o único. Se a forma de atuação ou atividade possibilita o uso residencial (somente para fins de correspondência) como sede da empresa, a viabilidade de se regularizar é mais simples, mas se não for esse o caso, é preciso ter Planta Aprovada para Uso Comercial, Habite-se e Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Lembrando que cada Prefeitura tem suas particularidades na forma de regularizar e fiscalizar as atividades.

10. CETESB

Órgão presente no Estado de São Paulo, atua na fiscalização e licenciamento de atividades que possam causar danos ao meio ambiente. É importante verificar se para o ramo de atuação que se pretende seguir será necessário licenciamento na CETESB.

11. Contrato de Locação

Esse é um item bônus na nossa lista, com o objetivo de alertar que após constituída a empresa, caso seja pago aluguel de Pessoa Jurídica para Pessoa Física, deve-se ficar atento se o valor caracteriza obrigatoriedade de recolher Imposto de Renda Retido na Fonte.

12. Busca da Marca

Assim como o anterior, esse é um item adicional! Quando se pretende ter uma marca, é preciso primeiramente fazer uma busca no site do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (http://www.inpi.gov.br/) e verificar a disponibilidade, pois, não será possível proceder com o registro e ser detentor da marca, caso outra pessoa já possua os direitos sobre ela.

Publicado por “Contábeis – O Portal da Profissão Contábil”, em 08/01/2018.

 

Direitos dos estagiários, veja quais são.

Você sabia que os estagiários podem pedir uma redução na carga horária durante o período de provas? Entenda esse e outros direitos no estágio.

O início do ano pode ser um período interessante para encontrar um estágio. Com contratos se encerrando e jovens ingressando na universidade, a procura e a oferta costumam aumentar nessa época. Se você está procurando ou até mesmo já iniciou seu estágio, é importante ficar atento: segundo o Ministério do Trabalho, apesar de não configurar vínculo empregatício, os estagiários têm, sim, os seus direitos.

 Para o diretor de Políticas de Empregabilidade do Ministério do Trabalho, Higino Brito Vieira, os estagiários estão em um período fundamental para o conhecimento do ambiente de trabalho e da progressão curricular. “É o primeiro passo de muitos trabalhadores. Promove conhecimento, faz despertar para a importância das atribuições profissionais, ajuda na compreensão de hierarquia e organização e pode proporcionar oportunidades no mercado”, destaca o diretor.

A carga horária é a principal questão relacionada aos estágios. A regra muda de acordo com a modalidade de ensino do estudante. Para estudantes da educações especial e dos anos finais do ensino fundamental, são quatro horas diárias de trabalho, não podendo exceder 20 horas semanais. No ensino médio regular, educação profissional de nível médio e ensino superior, é possível trabalhar até seis horas por dia, sem ultrapassar a 30 horas semanais.

O estágio relativo a cursos que alternam teoria e prática, em que não estão programadas aulas presenciais, pode chegar a até 40 horas semanais, mas é preciso que esteja previsto no projeto pedagógico do curso e da instituição de ensino. Segundo a Lei do Estágio, o estudante pode solicitar a redução da carga horária em época de provas, para garantir o bom desempenho dos estudantes.

“O estudante não pode exceder às jornadas previstas em lei. O estagiário não pode ser visto como uma mão de obra barata. O estágio faz parte do projeto de aprendizagem profissional do cidadão. Caso as regras não sejam cumpridas, o estudante pode requerer seus direitos trabalhistas na Justiça, o que implicaria a descaracterização do contrato de estágio. Com isso, a empresa ou a instituição pública podem ser oneradas com o pagamento de todos os custos do trabalhador, como FGTS e INSS”, afirmou o coordenador geral de Fiscalização do Ministério do Trabalho, João Paulo Reis. Confira outras regras relacionadas ao estágio:

1) Duração: o estágio na mesma empresa ou órgão público não pode exceder dois anos de duração. Existe uma exceção para portadores de deficiência.

2) Férias: a partir de um ano de estágio, o estudante tem direito a recesso de 30 dias.

3) Descanso: os horários para lanches, almoço e jantar devem ser acordados entre estagiários e chefes, sempre respeitando os limites da saúde e da produtividade.

4) Remuneração: é importante ressaltar que o estágio pode ser remunerados ou não. O detalhamento está na Lei 11.788, de 25 de setembro de 2008.

5) Faltas: as ausências do estagiário podem ser descontadas no pagamento da bolsa.

6) Previdência: apesar de não ser segurado, o estagiário pode contribuir como segurado facultativo da previdência social.

7) Saúde e alimentação: é comum que estagiários recebam vale-alimentação e seguro saúde das empresas em que trabalham. Apesar disso, caso você não receba, este não será um argumento passível de reclamação, pois as companhias não são obrigadas a pagar o benefício.

Publicado por: “Contábeis – O Portal da Profissão Contábil”, em 08/01/2018.

 

Alcance o objetivo de se tornar uma pessoa mais ativa

 

Um dos maiores entraves a tornarmo-nos pessoas mais ativas é que existem muitas distrações na nossa vida, estamos sempre muito ocupados, o tempo é limitado e criamos hábitos que são muito difíceis de quebrar.

Portanto, o que podemos fazer para alcançar objetivos mais saudáveis e consequentemente melhorar a nossa saúde?
É aconselhável iniciar qualquer mudança com alterações pequenas e fáceis que possam caber sem dificuldades nas nossas vidas. Desta forma, a probabilidade de criar novos hábitos que tenham o potencial de perdurar é muito superior.
Não tente mudar muitas coisas ao mesmo tempo, pois certamente irá ficar desapontado. Quando tenta criar muitos hábitos saudáveis simultaneamente (por exemplo, eliminar o açúcar, fazer exercício físico todos os dias, etc.), está a reduzir drasticamente as suas hipóteses de se manter fiel aos mesmos.

Em vez disso, comece com algo pequeno e simples e implemente apenas um ou dois hábitos de cada vez. Devem ser tão simples que quase parecem ser demasiado fáceis.
Eis, por exemplo, algumas mudanças fáceis para aumentar o exercício físico no seu local de trabalho:

  • Utilize as escadas em vez do elevador, pode não acreditar mas subir escadas pode queimar mais calorias do que correr;
  • Caminhe até aos seus colegas em vez lhes enviar um email;
  • Estacione mais longe do escritório, saia numa estação de autocarro anterior à normal ou encontre um caminho mais longo para chegar ao trabalho;
  • Dê um passeio à hora do almoço, ou compre o almoço mais longe para que tenha que andar;
  • Tenha reuniões em pé em vez de se sentar numa sala;
  • Tente andar ou ficar em pé quando estiver ao telefone.

Para além disto, deverá criar metas realistas e específicas, como por exemplo, ir ao ginásio para um treino de 30 minutos duas vezes na próxima semana ou aumentar a sua contagem diária de passos para uns mil passos adicionais.
A motivação é outro fator muito importante. Vai precisar de motivação para ter a energia interna necessária para alcançar os seus objetivos.
Mas a motivação não é sempre constante e costuma diminuir, especialmente quando estamos estressados, cansados ou aborrecidos. Por esta razão, a responsabilização é uma ferramenta poderosa.
Essencialmente, a responsabilização fará com que se mantenha consistente e ajuda a ter de reportar a alguém (ou a si mesmo) o que tem feito (com sucesso ou sem sucesso), por exemplo, no que refere à sua dieta ou ao seu plano de treino.
Poderá criar um tipo de quadro ou gráfico que permita acompanhar os seus hábitos e ver como está a progredir em direção ao objetivo de melhorar a sua saúde.
Há uma série de tópicos que poderá monitorizar para perceber se está no caminho certo ou simplesmente para ter consciência dos seus padrões atuais (por exemplo, o consumo de água, a ingestão de calorias, ingestão ou não de refrigerantes, café, álcool, fast food, prática de exercício físico, etc.).
Também poderá acompanhar automaticamente a quantidade de passos que dá, usando um pedômetro, o seu telemóvel ou um chamado fitness tracker. Vai ficar surpreendido com a quantidade de passos a mais que pode dar se escolher ir pelas escadas em vez de elevador e se fizer uma caminhada de 25 minutos no horário de almoço ou depois do jantar.
Procure a companhia dos outros. O envolvimento social e a partilha de metas proporcionarão uma motivação maior do que encarar os novos hábitos sozinho.
A maioria das modalidades desportivas oferece oportunidades de sociabilidade, que servem de incentivo à participação contínua. Encontre a atividade física que lhe traz divertimento e alegria.
Em vez de fazer do exercício físico uma tarefa, faça o que o faz feliz. Deve encontrar algo divertido e isso irá motivá-lo a aparecer cada vez mais e a caminhar para uma vida mais saudável!

Publicado por: RH Online em 29/12/2017.

I Curso de Marketing Pessoal

No mês de Dezembro realizamos nosso primeiro curso de Marketing Pessoal, com o intuito de informar as pessoas com dicas e orientações sobre casos práticos de como se comportar numa entrevista de emprego e no dia-a-dia, para fortalecer sua imagem como profissional.
O evento foi um sucesso! Agradecemos a participação de todos!

Equipe Àgape GP.

 

Cliente Oculto

images

Num mercado extremamente competitivo e globalizado, e no momento afetado pela crise que passa o país, promover a satisfação do cliente e fidelizá-lo é questão de sobrevivência da organização.

A identificação e compreensão das necessidades e expectativas dos grupos de clientes visa obter as informações necessárias para a definição de produtos e serviços que incorporem as características mais relevantes para estes.

Avaliar a satisfação dos clientes tem por objetivo mensurar sua percepção sobre a empresa e seus produtos, e identificar oportunidades para melhoria. A análise dos resultados e a tomada de ações proporcionarão o aumento da satisfação dos clientes e consequente fidelização.

Para conhecer as expectativas dos clientes e avaliar o modo pelo qual os clientes vivenciam a experiência de consumo proporcionada pelas empresas trouxemos para Jaú o Cliente Oculto, também conhecido como Cliente Misterioso, Hóspede Misterioso ou Mystery Guest.

O Cliente Oculto é uma pessoa treinada pela Ágape GP para avaliar, de forma anônima, imparcial e objetiva, a qualidade percebida de serviços e produtos. Os participantes são selecionados de acordo com o perfil dos clientes de cada empresa. Para as avaliações produzirem efeito e serem ferramentas importantes de mudança na empresa/cliente os procedimentos devem ser corretamente executados. Para tanto treinamos o Cliente Oculto para que exerça seu papel extremamente importante com eficiência.

Não dá para viver dos rendimentos recebidos pelo Cliente Oculto, no entanto pode ser uma remuneração extra para a pessoa que realiza esta tarefa.

Existem três formas de remuneração:

  • A pessoa recebe uma remuneração pelo trabalho;
  • A pessoa recebe o reembolso do produto adquirido ou serviço consumido;
  • A pessoa recebe uma remuneração e reembolso pelo trabalho.

Você ficou interessado em ser um Cliente Oculto?

Tem dúvidas e deseja entender melhor este trabalho?

Entre em contato através do nosso e-mail: contato@agapegp.com.br, teremos prazer em falar com você.

Empretec em Jaú

Quando algo bom nos acontece, geralmente queremos que outras pessoas tenham a oportunidade de vivenciar as mesmas experiências positivas. Por isso gostaria que você leitor e empresário tivesse a oportunidade de fazer o Empretec.

empretecNo dia 14/07/15 – terça-feira em Jaú, será realizada a Palestra de Abertura e Sensibilização do Empretec. Participando deste encontro você terá mais informações sobre o seminário e poderá entender melhor o programa.

O Empretec é uma metodologia da Organização das Nações Unidas – ONU voltada para o desenvolvimento de características de comportamento empreendedor e para a identificação de novas oportunidades de negócios, promovido em cerca de 34 países. No Brasil, o Empretec é realizado exclusivamente pelo Sebrae e já capacitou cerca de 190 mil pessoas, em 8.400 turmas distribuídas pelos 27 Estados da Federação. Todo ano, o Empretec capacita em torno de 10 mil participantes.

Segundo pesquisa do Sebrae, os empreendedores que fizeram Empretec registraram um acréscimo de R$ 24,6 mil por mês no faturamento de suas empresas. Mais de 90% dos entrevistados confirmaram o aumento dos lucros após a conclusão do seminário e que aplicaram imediatamente mudanças em seus produtos e serviços com base nos conhecimentos adquiridos. (Fonte: Sebrae – consultado em: http://www.sebraemais.com.br/solucoes/empretec).

Eu sou um Empreteco (rsrsr, nome dado às pessoas que já fizeram o Empretec) e posso lhes dizer que realizou uma mudança radical no meu jeito de pensar, na minha vida pessoal e profissional. Fui com muita expectativa fazer o seminário de 6 dias realizado em Bauru. Foram dias intensos onde pude me conhecer verdadeiramente como pessoa e empreendedor.

planeja fácilPossuía até a ocasião pensamentos limitantes e sabotadores de toda a minha energia e motivação para empreender e desenvolver o meu negócio. Pós Empretec, pude fazer uma profunda avaliação do que queria para minha empresa, do ponto onde estava, e o que vislumbrava para o meu futuro. Mudei totalmente meu comportamento, e com as ferramentas de gestão do Sebrae comecei a fazer mudanças na minha empresa e colher frutos maravilhosos.

Duas características comportamentais não havia desenvolvido, que eram o estabelecimento de metas, planejamento e monitoramento sistemáticos. Trabalhei e potencializei meus comportamentos visíveis e vivenciados, e investi nos comportamentos inadequados. Vejo diariamente os resultados destas ações, no visual da empresa, na identificação pelos clientes, no faturamento e na redução de custos.

Além dos fatores positivos descritos anteriormente, o Empretec deu um “plus” ao meu currículo profissional. Quando reconhecido por outros colegas que também fizeram o Empretec, percebo que os mesmos valorizam e confiam ainda mais nos serviços que presto.

Para finalizar, me permitam um exemplo no sentido figurado do que é o Empretec.

Antes do Empretec me via em meio a um grande deserto, perdido, sem saber que caminho seguir, via grandes oportunidades, mas ao final eram somente miragens.

bússolaPós Empretec me vejo ainda em meio a um grande deserto, porém aprendi a me direcionar pela posição do sol, além disso, tenho bússola e GPS, vejo hoje grandes oportunidades reais. Embora tenha todos estes equipamentos, o que continua fazendo a diferença é o uso ou não deles.

E aí? Vai ou não participar do Empretec?

Vale muito a pena!

Publicado por: Evandro Ávila Franco (consultor e especialista em Gestão de Pessoas).