(14) 3032-1227 | Recrutamento e Seleção, Consultoria, Cursos e Treinamentos

Blog

Saia das dívidas em sete passos.

O site Contábeis publicou recentemente uma matéria nos ajudando como sair das dívidas em apenas sete passos. Se a dívida é de um real, mil reais, cem mil reais ou ainda mais… há saída (e não significa sair sem pagar). Antes de seguir as etapas é importantíssimo ter e fazer os dois Princípios abaixo:

Princípio 1. Traga a responsabilidade para você. Esqueça culpar governo, empresa, país, vizinhos, parentes. Evite desperdiçar energia para prosperar com as lástimas do passado. O que passou já foi, não importa o que gerou as dívidas; agora importa fazer a retomada e crescer financeiramente.

Princípio 2. Saia do conformismo. Para sair das dívidas será necessário sim um esforço, que pode não ser sacrifício mas será esforço. Tudo que exige mais de nós, da nossa zona de conforto pede esforço. É só imaginar a prática de um esporte: não é sacrifício porque a pessoa escolheu uma modalidade que gosta; mas para ter bons resultados terá de se esforçar. O mesmo valerá para quitar as dívidas.

De posse destes Princípios, sabendo que terá de vencer a vontade de culpar os outros além de ter consciência do esforço que será necessário, comece sua estratégia de sucesso para riscar as dívidas do seu caminho, tanto pessoal quanto empresarial:

 

1) Saiba como é sua dívida acumulada e a dívida cotidiana – Tire um tempo confortável e liste tudo, absolutamente tudo que é dívida acumulada, aquela que tira a sua paz: o que está atrasado, o valor atualizado e para quem. Depois liste tudo que é dívida cotidiana: são as contas de consumo (pois pagamos após consumir), plano de televisão, telefonia, além dos compromissos do dia a dia (financiamento de imóveis, mensalidade escolar, estimativa de supermercado, feira, farmácia) para saber claramente quanto custa a sua vida mensalmente. Entenda que a dívida acumulada tem de ser quitada até para que a dívida cotidiana esteja em equilíbrio. O seu objetivo futuro deve ser ter uma reserva para bancar as dívidas cotidianas e pagar sem jamais atrasar. Para saber isso é preciso ter a planilha financeira, sempre atualizada.

2) Anote o que gasta, não importa o valor – Cinco reais isoladamente parecem pouca coisa, mas acumulados podem bancar a quitação de uma dívida. Vamos saber onde o dinheiro está sendo gasto, e para isso só com uma lista de tudo o que foi gasto é possível determinar. Faça isso todos os dias, vai se tornar hábito.

3) Defina meta: até quando pagar tudo – De posse dos números da dívida acumulada, analise criteriosamente como vai pagar isso. Será necessário fazer mais dinheiro na grande maioria dos casos, portanto evite cair na meta miraculosa (em um mês tá tudo pago) ou na meta indefinida (em dez, vinte anos eu talvez pague).  Prefira ser realista do que otimista e calcule um tempo razoável.

4) Planeje a estratégia e corte custos – Analise a melhor forma de fazer mais dinheiro – RESISTA A PEDIR EMPRÉSTIMOS – e una a forma de fazer dinheiro com a forma de reduzir despesas. Lembre que isso tem um objetivo: trazer paz e equilíbrio financeiro. Se precisar cortar lazer por uns meses, faça. Vai ter de vender o carro (se não for algo que te ajude a fazer dinheiro), venda. Esqueça o orgulho. Todos os milionários já passaram por isso: quebraram, estruturaram e retomaram após acabar com o passivo endividado. Assim sendo, faça como os milionários: jogue o orgulho no lixo e faça dinheiro além de reduzir despesas ao máximo. Zero compras de impulso, zero cartão de crédito. É tempo de guerra.

5) Una toda a família nesta empreitada, una sua empresa, seja o líder da mudança – Nada adiantará se só você remar na direção contrária num barco onde todos vão para um lado só: coloque todos no mesmo barco com a mesma visão. Curiosamente, crianças são as primeiras a se motivarem com a redução de despesas. Estimule isso e faça com que sejam parceiras de economia. Os funcionários da sua empresa poderão ficar surpresos num primeiro momento mas depois vão entender e acreditar que seu líder, seu chefe está sendo honesto e determinado para o bem de todos. Evite esconder a situação, e movimente a energia para que a dívida acabe o quanto antes.

6) Foco, foco, foco – Vai acontecer o momento de desistir, quando tudo parece que não dá certo. INSISTA. Evite deixar para depois ou procrastinar. Siga firme no objetivo por mais que pareça impossível, pois na verdade não existe impossível. Traga o foco também para a família ou empresa. O nome disso pode ser teimosia, e fará um grande bem.

7) Inove – À medida que este plano de geração de renda e fim da dívida se desenvolver, certamente ideias novas virão para seus negócios, sua família e seu crescimento pessoal. É nesta hora que oportunidades surgem. Muita gente descobre novos mercados quando se esforça para vender mais e tem resultados incríveis. Na dúvida, lembre que o “não” você já tem. Faça, inove, empreenda.

Ótimos passos para sair do vermelho. Vamos tentar?

Publicado por Contábeis – O Portal da Profissão Contábil, em 17/04/2018.

 

Escrito por

O autor não adicionou qualquer informação a seu perfil ainda.